Damião Lucena lançou o livro “Patos de Todos os Tempos”

capaA maior e mais completa publicação sobre a história do município de Patos foi lançada no sábado, 17 de outubro de 2015, na Associação Comercial, em um livro com 620 páginas, pelo jornalista, radialista, historiador e agora escritor Damião Lucena, enfocando a trajetória da Capital do Sertão da Paraíba, em todos os seus setores, desde o século XVI até os dias atuais. O material é resultado de mais de três décadas de pesquisa e conseguiu agregar o conteúdo informático de várias fontes de pesquisa, com ênfase aos elementos captados na enciclopédia humana, documentos eclesiais e cartoriais, reportagens, arquivos pessoais e oficiais, dentre outras fontes. A imagem de capa, remonta ao cenário de 1950, em reprodução artística de Fran Lima, ilustrações confiadas a Aurélio Filho, artes gráficas de Alex Souto e revisão da professora Fátima Paulo.

 Com um tom mais didático, a publicação parte dos Aspectos Históricos, a partir da Origem, Combates entre Brancos e Índios, Conquista e Fundação do Povoado e da Vila Imperial dos Patos. Nos Aspectos Geográficos: Localização, Eclipse de 1940, Clima e Vegetação, Relevo e Solo, Hidrografia e Recursos Minerais. Nos Aspectos Populacionais, a Formação e Mistificação de nossa Raça e o Povo Cigano que aqui aportou. Na Evolução Política e Administrativa: O Marco da Independência, O Legislativo Municipal, Estadual e Federal, as Eleições, os Parlamentares; O Poder Executivo e os Respectivos Pleitos, Galeria de Administradores nas três Instâncias e Obras Referenciais, O Poder Judiciário, A Segurança Pública – Surgimento e Histórico dos Órgãos: III Batalhão de Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal, Medicina Legal, Tiro de Guerra e Polícia Civil.

Na Formação Religiosa: o Catolicismo, Párocos, Criação da Diocese, os nossos Bispos, O Jubileu Áureo, Frei Damião, a Fazenda da Esperança. Os Evangélicos e seus Pastores, os Espíritas, as Religiões Afro-Brasileiras e a Resistência dos Terreiros. No Desenvolvimento Econômico: o Ciclo do Algodão, o Setor Coureiro Calçadista, a Energia Elétrica, as Instituições Financeiras, as Representações Comerciárias, Comerciais, Industriais, Agrícolas e de Serviços. Na Educação, a formação a partir do século XIX, O Ginásio Diocesano, o Colégio Cristo Rei, A Expansão Distrital e Estatística, o Colégio Comercial Roberto Simonsen, a Escola Miguel Sátyro e o Instituto São José, o Mobral, a Casa do Estudante, Alfredo Lustosa Cabral, Professor Oliveira, Professor Messias, Professora Marlene César. A Implantação do Ensino Superior, a Associação Universitária e as Universidades de Patos.

Patos de Todos os Tempos, traz também a história dos nossos Transportes: Rodoviário, Aéreo e Ferroviário. Na Comunicação: as Primeiras Manifestações do século XX, Os Correios e Telégrafos, A Imprensa Escrita e Falada, Telefonia, PX e Rádio Amador. Na Saúde, além da Retrospectiva, os Tradicionais Farmacêuticos, Primeiras Unidades Sanitárias, Hospital Regional e SAMDU, Maternidade, Hospital Infantil, Conselho, SAMU e Centro de Oncologia, O Sonho do Serpentário e o Curso de Medicina. Nos Regimes e Revoluções: O Cangaço, O Coronelismo de Miguel Sátyro, a Confederação do Equador, Porfírio da Costa e a Guerra do Paraguai, Revolta de Quebra Quilos, Revolução de 1912, Revolução de 1930 e Os Perseguidos da Revolução de 1964.

 Na Cultura são mais de 100 páginas, a começar pela Introdução a Literatura e a história de: Silvino Pirauá (criador da Poesia de Cordel), Inácio e Romano na Peleja do Beco da Conceição, Severino Perigo: a Poesia e o Álcool, Mandury e o Folclore Sertanejo, Luís Wanderley Torres, o Literato Flávio Sátyro, a Poetisa Balila Palmeira. As Artes Plásticas e Zezinho Pintor, Flanésio, Dona Losa, Perigo Neto, Fran Lima, Murilo Santos e Júnior Misaki. A Música no Contexto de Patos, os nossos Conjuntos e Festivais, o Maestro Hermes Brandão, o Museólogo Adhemar Nóbrega, Pinto do Acordeon e Antônio Emiliano. A História dos nossos Cinemas e de Agripino Cavalcanti. O Nosso Teatro, o Folclore das Memórias e Tradições, o Serra Velho. O Artesanato: Cooperativa Mista, Nazira das Gamelas e Maria dos Bichos, Antônio Tranca Rua, Doutor Raiz, Da Cajarana a Zona, Procissão dos Homens, Barbeiros e Salões: Pipia e Tião; O Bar de Chicó, O 13 Pesca Clube. Festejos Juninos, Carnaval, Azulejos de Santo Antônio e Façanhas do Padre Levi, Centenário da Cidade, O Centro de Estudos e Pesquisas Históricas de Patos, O Fortelândia, a Bandeira, o Hino e Amaury de Carvalho, Fundação Ernani Sátyro, Mário Leitão no Campo das Artes, Emília Longo e Amaury Sátyro, Instituto Histórico e Geográfico de Patos e a Trajetória dos seus 20 Patronos; Patrimônio Histórico, ASTRAL – Associação do Trabalhador Cultural, Cruz da Menina, A Versatilidade de Rilton Meira. Denis Cavalcante: de Patos para o Mundo, a Escultura de Wilson Figueiredo e Quadrinhos na Cultura de Patos.

No penúltimo capítulo o destaque para a história de nosso Futebol e, por último, nossas instituições de serviço: Maçonaria, Rotary, Rotaract, Interact, Rotakids, Instituto dos Cegos de Patos e Lar dos Velhinhos, Lions Club, Alcoólicos Anônimos, CEMIC e APAE. A publicação também contempla algumas imagens marcantes da trajetória de Patos.

Por ocasião do lançamento desse novo trabalho disse o autor: “Não quero ser o primeiro e nem o último da história. Pretendo, apenas, concretizar o desejo pessoal da certeza do dever cumprido. Resgatar a história de minha terra, eternizando a sua memória e propiciando às futuras gerações a oportunidade de sequenciar o registro da trajetória, satisfaz meu ego, que não significa individualismo já que se destina ao coletivo. Não pretendo a fama dos grandes escritores. Prefiro ser lembrado como um mero pesquisador, um catador de acontecimentos importantes, simples ou compostos, que agregou informações, reuniu elementos e autores, em uma mesma publicação, para que não fosse necessária uma peregrinação na busca dos nossos cenários e suas épocas. Espero contribuir com o desenvolvimento cultural e fazer crescer todos os setores de uma das mais progressistas cidades da Paraíba”.

Sobre sua origem, destacou: “Nasci em 06 de abril de 1963, na rua dos 18 do Forte, como filho de José Rodrigues de Lima e Maria Carmelita de Lucena Lima, motorista e artesã, respectivamente. Pobre e nobre, vivi ao lado dos meus irmãos: Joselita, Fátima, Luiz e Gorete, os sobreviventes da infância de uma prole de 11, na época em que a medicina pediátrica praticamente inexistia. Estudei em escola pública, paralelo às atividades de vendedor ambulante de rolete de cana, bombons, servente de pedreiro e, mais tarde, profissional da imprensa, com duas especializações internacionais em Jornalismo, após ingressar em quatro cursos superiores, dois na UFPB, Engenharia Florestal e Educação Artística; dois em instituição particular, Fundação Mascarenhas, Letras e Geografia, colando grau em 1987, ano em que me casei com Dilva Alves Lucena Lima, união da qual geramos duas pérolas: a advogada e professora, Danielle; o administrador de empresas e bancário, Daniel. Com três décadas de comunicação, já tendo dirigido o departamento de Jornalismo das rádios: Espinharas, Itatiunga e Sertão, gerenciado as sucursais de “A União”, “O Momento” e “Jornal da Paraíba”, me dediquei à pesquisa de Patos e região, por opção própria, de quem se satisfaz com o que faz. Espero que esteja sendo útil e ajudando, de alguma forma, no processo educacional, o mais eficaz para o bom encaminhamento dos jovens e satisfação plena dos adultos”.

O Livro pode ser adquirido em dois pontos de Patos: Banca Catedral e Distribuidora Nóbrega. Em João Pessoa, os pontos de distribuição são: Master Banca (Em frente ao Centro Turístico Tambaú) e Casinha Pintando o Sete (no Shopping Sul). Os pedidos para qualquer parte do mundo, através dos Correios, podem ser feitos através do email: damiaolucena@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *