Monsenhor Laíres


Luís Laíres da Nóbrega nasceu no Sítio Santa Gertrudes, município de Patos, aos 27 de junho de 1918, filho de Josias Álvares da Nóbrega e Maria Vitalina Medeiros de Morais. Pelo lado paterno era neto do Capitão José Claudino, proprietário da Fazenda Baixa Verde, município de Santa Luzia.

No ano de 1922 transferiu-se com a família para o Sítio Trapiá, área onde se encontra inserido o Parque Turístico religioso Cruz da Menina, e em 1926, fixou residência na cidade de Patos. Órfão de mãe aos 10 anos, o menino passou a freqüentar a escola pública, regida pelo professor Alfredo Lustosa Cabral e foi aluno fundador do Colégio Diocesano, a partir do exame de admissão, no ano de 1937.

Trazendo consigo a vocação sacerdotal e contando com o apoio do Padre Fernando Gomes dos Santos, ingressou no Seminário Arquidiocesano da Paraíba, em João Pessoa, dirigido pelo Monsenhor José Tibúrcio de Miranda. Cursou Humanidades e concluiu os superiores de Filosofia e Teologia. Sua ordenação sacerdotal aconteceu na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia, aos 04 de dezembro de 1949, tendo como oficiante o Bispo Dom Luís do Amaral Mousinho, já que a igreja de Patos era jurisdicionada à Diocese de Cajazeiras, na mesma solenidade que atribuiu a Ordem Sagrada do Presbítero aos seus colegas Milton Arruda e Luís Gualberto.

O Padre Laíres fez sua primeira celebração, oito dias após a sua ordenação na Catedral de Patos. Em 1950 foi designado Vigário Cooperador da Matriz de Cajazeiras, para em 02 de fevereiro passar a comandar a Paróquia de Santo Antônio, em Piancó, onde permaneceria até 02 de fevereiro de 1961, período em que concluíria a Igreja de São João Batista, em Olho D’água. Naquela época acumulava o referido cargo em Santana dos Garrotes e Coremas. Entre 1953 e 1958, paralelo às atividades religiosas, o nome em destaque era professor do Colégio Santo Antônio, na Rainha do Vale.

Problemas de saúde levaram o Padre Laíres ao Rio de Janeiro, onde chegou a sofrer uma intervenção cirúrgica, além de uma estada de 06 meses, nos Estados Unidos, tratando-se no Memorial Hospital Center, de Nova York. Enquanto esteve na Capital Carioca, participou de um curso de Jornalismo, ministrado pela Associação Brasileira de Imprensa, entidade a qual se filiou, em 1962. Ao regressar à Paraíba foi designado vigário de Santana dos Garrotes.

Após um novo tratamento na Capital da Guanabara, em 1963, atendendo convite de Dom Fernando Gomes, passou a prestar serviços à Arquidiocese de Goiânia-GO, nas paróquias de Itauçú (1963-1966) e a de Vianópolis até 1969.

Com seu retorno a Patos, em 1970, Padre Laíres foi designado pároco de São Sebastião e 02 anos depois já era vigário de Nossa Senhora da Guia. Em 1974, foi nomeado Vigário Geral da Diocese, função desempenhada até 1994. Padre Laíres também dirigiu a paróquia de Desterro e Imaculada, mesmo residindo na cidade de Patos.

Ainda na década de setenta, desenvolveu, durante cinco anos, as atividades docentes no Colégio Diocesano e licenciou-se em Filosofia e Sociologia pela Universidade Católica de Pernambuco. Dirigiu a Rádio Espinharas entre 1983 e 1984.

Com o falecimento do Bispo Diocesano, Dom Expedito Eduardo de Oliveira, na condição de vigário capitular e após ser escolhido pelo Conselho de Consultores, o Padre Luís Laíres, assumiu interinamente a direção da Diocese de Patos, permanecendo na referida função de 10 de maio de 1983 a 26 de fevereiro do ano seguinte, quando aconteceu a posse de Dom Gerardo de Andrade Ponte.

Por força do trabalho realizado na luta pela evangelização dos sertanejos, Padre Laíres foi condecorado com o título de Monsenhor, através de ato assinado pelo Papa João Paulo II, aos 02 de junho de 1985. Outro acontecimento que merece destaque foi a comemoração do seu Jubileu de Ouro Sacerdotal, no dia 16 de dezembro de 1999, na Catedral Da Guia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *