Evangélicos

Existem informações dando conta de que no início do século XX a cidade de Patos passou a conviver com as primeiras manifestações evangélicas sem, no entanto, adentrar em detalhamento. Oficialmente, a história registra o trabalho congregacional a partir do ano de 1928, fato testemunhado pelo saudoso Arthur Carneiro. A Igreja foi inaugurada em 1932, tendo como fundador o Pastor Inglês Harry Briault e sua esposa dona Frieda. Vale salientar que os Briaults chegaram ao Brasil no oitavo ano da década de 20 e viajaram de trem até Campina Grande, onde adquiriram um veículo ford, condução que os traria à cidade de Patos. Mesmo com as dificuldades enfrentadas no caminho, relacionadas aos atoleiros da estrada de barro, poucas semanas depois resolveram fixar morada na Capital do Sertão da Paraíba.

Por conta do arcadismo e fervor da religião católica tradicional, muitas foram as dificuldades encontradas pelo grupo de evangelizadores denominado protestantes, ao ponto de alguns comerciantes se negarem, até mesmo, a lhes vender leite. Depoimentos dão conta de que houve até tentativa de homicídio contra o Pastor Harry Briault. Tal fato teria sido causado pela revolta do Padre Jesuíta de Patos, após ter sido desafiado para um debate em praça pública, desistindo de última hora e passando a ser motivo de fofocas dando conta de sua derrota moral, ter organizado um grupo de centenas de homens e se dirigido à casa do referido cidadão com o objetivo de tirar-lhe a vida, no que só foi contido graças à intervenção do prefeito da época.

O primeiro pastor nacional a atuar em nossa cidade foi Cláudio Santiago, que colaborou com o precursor, e o missionário americano Paul Davidson, na fundação do Instituto Bíblico de Patos, em 1937. Nos anos 40 foi a vez da Ação Evangélica e o missionário inglês, Albert Eduard Mundy, aqui chegar procedente de Princesa Isabel. Outro missionário da Inglaterra, Frank Dyer ao lado de sua esposa Ivy, veio para Patos, a exemplo da ACEV em 1949.

Ainda nos anos 40 foi assinalada a chegada dos Batistas e de acordo com o livro: “Deus quis e fez assim”, o Pastor Silva Melo foi um dos pioneiros no Sertão. Nos anos 50 foi erguido o templo da Primeira Igreja Batista de Patos. No oitavo ano desta mesma década a Rainha Sertaneja já tinha quatro igrejas evangélicas: Congregacional, Ação Evangélica (conhecida ainda como Igreja Pentecostal), Presbiteriana e Batista.

O ano de 1958 foi de enorme dificuldade para os evangélicos de Patos, em virtude da perseguição de grupos católicos, fato documentado em jornais da época e hoje sob os cuidados da missionária Elizabeth Medcraft, da Ação Evangélica. Citam tais publicações que essas investidas teriam sido lideradas pelo Padre Manoel Dutra, chegando a provocar revolta em parte dos seguidores da religião católica, durante a celebração de missões do saudoso Frei Damião. No referido período a Igreja Presbiteriana foi incendiada e tiros chegaram a ser disparados contra o templo dos Batistas. O grave incidente foi registrado em 29 de junho e teve repercussão internacional. Paralelo a isso os evangélicos eram apedrejados e insultados com freqüência. Tais iniciativas não chegaram a provocar desânimo nos seguidores da doutrina que permaneceram firmes e não pararam de crescer.

Vale salientar que em reiterados artigos o Padre Manoel Dutra, já falecido, deixou claro que em momento algum incentivou os cristãos mais eufóricos a tais práticas, assim como Frei Damião. Acrescentava que a revolta dos católicos teria ocorrido pelo fato dos protestantes terem utilizado alto falantes nas proximidades das missões e que só não teria acontecido a mesma coisa na Igreja Batista, por conta da interferência do Capuchinho. Dos lados evangélicos os questionamentos continuam e se baseiam nos acontecimentos relatados em jornais independentes da época, a exemplo do Correio da Paraíba, publicações evangélicas e uma multidão de testemunhas. Relembram ainda que coisas do tipo aconteceram em diversas regiões do País, na tentativa de manter o domínio católico, acrescentando que o terrorismo foi derrotado e a verdade marchou em frente para a glória de Deus.

O ano de 1960 marca a chegada de alguns integrantes da Assembléia de Deus em Patos. Entre eles, dona Maria José, Evaristo, Maria Patrício e Rita Paiva. Realizaram o primeiro culto da sua denominação na rua do Prado em 1968 e inauguraram o seu templo em 1970. O primeiro pastor foi José Rodrigues.

De acordo com um censo realizado em Patos, no ano de 1985, além das cinco igrejas citadas, já existiam também a Congregação Cristã no Brasil, Igreja Batista da Fé, Adventista do Sétimo Dia, a Segunda Congregacional e a Igreja Filadélfia Pentecostal. Já uma pesquisa de 1998 aponta a existência de 25 igrejas e 3.600 crentes, para dois anos depois, ou seja, em 2000, chegar a casa das 29 Igrejas e 3.915 seguidores. Além disso, diversas Igrejas já possuem filiais em bairros da cidade.

Em março de 1997, como fruto das articulações e esforços da Associação de Pastores e Obreiros, foi fundado o Seminário Evangélico de Patos, entidade que desenvolve um trabalho pioneiro no Sertão da Paraíba, respeitando o sertanejo e treinando novos divulgadores em consonância com as suas realidades, tendo como professores pessoas com larga experiência na região. O SEP também tem por objetivo contribuir para uma melhor compreensão da Igreja Evangélica Brasileira e da realidade nordestina. Por outro lado é responsável por um permanente trabalho de pesquisa objetivando manter uma estatística atualizada sobre a doutrina.

Nos dias atuais a Igreja Evangélica de Patos é detentora de uma grande representatividade, já ultrapassando os 5.000 adeptos praticantes, além das pessoas simpatizantes e outras inúmeras beneficiadas com o seu trabalho de assistência social. Se no Brasil já conta com mais de 30 milhões de seguidores, certamente conquistou uma força nacional, capaz de superar qualquer obstáculo que possa existir. Outrossim, diante de uma nova realidade já não corre qualquer risco de discriminação, uma vez que os tempos mudaram e as rixas do passado se transformaram em amizades do presente, numa prova inconteste de que a humanidade caminha mantendo o diálogo necessário para uma melhor convivência e compreensão mútua.

Ainda com relação à assistência social, vale destacar o grande trabalho desenvolvido pela Ação Evangélica que chegou ao Brasil em 1938 através do município de Princesa Isabel e dois anos mais tarde instalou sua sede nacional em Patos, objetivando amparar famílias carentes integrantes de qualquer doutrina. Sob a presidência do Pastor John Phillip Medcraft, vários programas têm sido mantidos, entre os quais podemos destacar as Campanhas de Combate às Epidemias. Com relação ao Cólera, destacamos a doação de lençóis, fronhas e equipos para a aplicação de soro, beneficiando o Hospital Infantil Noaldo Leite. Já no que se refere à Dengue, convênio chegou a ser celebrado com o Tiro de Guerra, objetivando pulverizar um trabalho que atuou em todas as casas da cidade, utilizando a mão de obra treinada pelo Núcleo de Saúde, o que envolveu trinta e cinco atiradores, pagos pela entidade, conseguindo diminuir o índice de infestação que se encontrava em 14% e chegou ao patamar de 2%.

Várias têm sido as pesquisas desenvolvidas como alternativas para a agricultura, com ênfase ao plantio da moringa, espécie desenvolvida na África e trazida para o Sertão há mais de dez anos, com um Banco de Sementes, as quais têm suprido não apenas Patos, mas diversas cidades do Brasil e inclusive outros países. Vale salientar que a moringa é uma planta que se adapta bem em terras áridas, tem um desenvolvimento muito rápido e pode ser utilizada como alimentação animal e humana. A algaroba, planta característica de nossa região, também vem sendo motivo de estudos para a viabilização de um melhor aproveitamento.

Dentro das iniciativas que visam a geração de emprego e renda, a Ação Evangélica mantém uma espécie de Banco Popular, concedendo empréstimos para as famílias carentes que apresentam alguma idéia concreta, com recurso limite de 500 reais e 3% de juros ao mês, cujos lucros vão aumentando a disponibilidade para beneficiar futuros pretendentes. O mais importante é que não existe burocracia e não há restrições quanto à atividade, incluindo até mesmo a aquisição de um celular para moto-taxista ou um fiteiro de bombons.

Já o Projeto “Quatro Pernas”, destinado ao homem do campo, constitui a cessão de caprinos ou ovinos, objetivando a formação de rebanhos em meio às famílias carentes. Trata-se de uma espécie de empréstimo de duas cabras ou ovelhas por família, além da disponibilidade de um reprodutor para emprenhar as criações cedidas. Com a produção concretizada as pessoas beneficiadas pagam as unidades originais, através de três fêmeas. Com isso aumenta também o rebanho destinado ao empréstimo de futuros postulantes. A perfuração de poços é uma das ações mais importantes, principalmente nos períodos prolongados de estiagem.

Na zona urbana vem sendo mantido um trabalho de apoio às pessoas surdas, mudas e cegas, o qual também beneficia a Escola Especial Irmã Benigna, enquanto que um consultório médico-odontológico situado na rua Pedro II é mantido para o atendimento de pessoas carentes de qualquer religião de forma gratuita. Há ainda um trabalho de apoio permanente junto aos presidiários, intitulado “Esquadrão da Vida”, com assistência médica, espiritual e social.

No aspecto da educação o trabalho mais importante está diretamente ligado à escola de reforço, com 12 unidades na região, sendo que a de Patos está situada no bairro do Jatobá e é conveniada com o município.

Por fim, vale lembrar o excelente trabalho de evangelismo, a constante implantação de Igrejas, a participação no Seminário Evangélico de Patos e outras inúmeras atitudes, que têm feito da Ação Evangélica um exemplo de dinamismo, conseguindo abrir os olhos de muitos homens e mulheres para os caminhos que conduzem ao bem maior, respeitando as suas particularidades e sempre observando os sábios ensinamentos, a exemplo daquela frase que assim determina: “Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas”. ( I-Pedro 4:10).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *