Otacílio Queiroz


Entre os nomes importantes de nossa história, a retrospectiva faz parada obrigatória na figura de Octacílio Nóbrega de Queiroz, que nasceu aos 21 de agosto de 1913, filho do casal Bertino Eudócio de Medeiros Queiroz e Emerentina Nóbrega de Queiroz.

Em consonância com os ensinamentos do lar cursou o primário em sua terra natal, tendo sido um dos alunos da competente professora Maria Nunes de Figueiredo, além de integrar a classe discente do curso secundário do Instituto Ginasial de Patos, bem como a Escola São José, fundada por Anésio Leão, na qual tornou-se professor primário.

No início da década de trinta, o nome em destaque fixou residência em João Pessoa, ingressando no Lyceu Parahybano, onde concluiu o curso secundário, tendo entre os seus contemporâneos nomes como: Aníbal Benevides, Cláudio Santa Cruz e Celso Furtado.

Despertando a sua vocação para a imprensa e unindo o útil ao agradável, Octacílio Queiroz fundou o Jornal “Reflexo”, órgão de comunicação estudantil, além de se incluir entre os colaboradores da Revista “Luta”.

Objetivando sequenciar os estudos, transferiu-se para Recife, onde cursou o pré-jurídico no Ginásio Pernambucano e, em 1943, diplomou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito. Paralelo às atividades acadêmicas, passou a ser redator do “Diário de Pernambuco”, período de 1936 a 1940, época em que regressou a João Pessoa e passou a desenvolver a mesma função no Jornal “A União”, chegando a assumir a direção do referido noticioso e da Imprensa Oficial, no período entre 23 de fevereiro de 1943 e 27 de abril de 1944, momento em que foi nomeado professor do Lyceu Parahybano. Por essas épocas também escreveu para o Correio da Paraíba, o Norte, o Estado, além de colaboração esparsa com o Jornal do Comércio, sediado em Recife e Jornal da Manhã, do Rio de Janeiro.

Por ato do Interventor da Paraíba, Odon Bezerra, datado de 07 de março de 1946, Octacílio Queiroz foi nomeado Promotor Interino da Comarca de Patos e noventa dias mais tarde, ascendeu à condição de titular.

Com a redemocratização do País, ainda em 1945, filiou-se às hostes do PSD – Partido Social Democrático, elegendo-se deputado estadual constituinte, no pleito realizado em 19 de janeiro de 1947, com 2.368 votos.

Na Casa de Epitácio Pessoa teve uma atuação brilhante e durante os trabalhos constituintes integrou a comissão de elaboração da Carta Constitucional Estadual, promulgada no dia 11 de junho de 1947. Na mesma legislatura que teve sua conclusão em 1950, ocupou o cargo de Segundo Secretário da Mesa Diretora, da Assembléia Legislativa. No pleito seguinte, conseguiu a reeleição, tendo sido o sétimo mais votado entre os dezenove eleitos pela Coligação Democrática Nacional, oportunidade em que obteve 3.173 votos.

Um dos momentos polêmicos de sua trajetória na Assembléia Legislativa, registrou-se por conta de sua característica de católico praticante, quando defendeu a colocação de uma imagem de Jesus Cristo, na parede da Sala de Reuniões. Após inúmeros embates e a concretização do tento, recebeu do Arcebispo da Paraíba, Dom Moisés Coelho, um longo telegrama de congratulações.

Em 1954, não logrou êxito nas eleições, voltando aos quadros de “A União”, mantendo a coluna “De Hoje & de Ontem”, abordando temas diversos com ênfase às questões do semi-árido nordestino. Voltou à direção do referido jornal no período de 15 de janeiro a 30 de julho de 1958, afastando-se do cargo para tentar retornar à Assembléia, concorrendo pelo PSD. Com o resultado adverso, tornou-se Secretário do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico, na gestão José Fernandes de Lima (1960-1961).

Alçando vôos mais altos, Octacílio Queiroz disputou uma eleição de deputado federal pelo PSB, em 1962 e novamente foi derrotado, voltando ao jornalismo e as funções de professor da Universidade Federal da Paraíba, onde lecionava Literatura Brasileira e Economia Política. Na Instituição de Ensino Superior, também ocupou a direção do Departamento Cultural, época em que a Reitoria era ocupada por Mário Moacir Porto.

Em 1965, com a instituição do partidarismo, ingressou nos quadros do – MDB – Movimento Democrático Brasileiro e, em 1974, disputou novamente um mandato de deputado federal pelas oposições, ficando na primeira suplência. Logo no início da legislatura compreendida entre 1975 e 1979, foi convocado para assumir a vaga surgida em decorrência do falecimento do deputado Janduhy Carneiro. Graças a sua atuação reelegeu-se nas eleições de 15 de novembro de 1978, obtendo 34.891 votos. Um dos pontos que o destacou no Congresso Nacional foi à defesa do aproveitamento da energia solar para o Nordeste. Também vale destacar que foi de sua iniciativa o primeiro Projeto de Lei, propondo a criação da Universidade Federal de Campina Grande, tema que voltaria a discussão em 2000 e se tornaria uma realidade.

Nas eleições de 15 de novembro de 1982, desta feita disputando pelo PMDB, voltou a ficar na primeira suplência, totalizando 29.997 votos. Com a eleição do deputado Antônio Carneiro Arnaud para a Prefeitura de João Pessoa, em 1985, voltou a condição de titular, permanecendo no cargo até o final de 1987. No ano anterior, na tentativa de continuar no parlamento conseguiu pouco mais de 18 mil votos, ficando na segunda suplência. Até então, o patoense em destaque no exercício de suas funções parlamentares chegou a assumir a Vice-presidência da Comissão de Ciência e Tecnologia (1976-1978) e membro das Comissões do Polígono das Secas, Tomadas de Contas, Fiscalização e Finanças.

Com a nova lei eleitoral e conseqüentemente a participação exagerada de candidatos, somada aos métodos incoerentes que passaram a prevalecer nas disputas através das campanhas milionárias, Octacílio Queiroz afastou-se definitivamente da Política. Ao lado da esposa Dirce Wanderley Nóbrega, continuou residindo em Brasília, vivendo entre seus livros e a família, tendo falecido em 29 de setembro de 1998, com o corpo sepultado no Cemitério Campo da Esperança, também na Capital Federal, deixando quatro filhos e duas filhas.

Homem culto e dedicado às pesquisas, Octacílio Queiroz, foi membro do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, com a publicação de vários estudos referenciando a retrospectiva do seu Estado. Em 1968, publicou o Livro “O Homem Gordo do Tauá”, além de outros títulos, entre os quais: “O Cardeal Mindszenty e o Espírito Anti-Religioso” (1949); “Por uma Universidade Federal para Campina Grande” (1975); “Uma Voz no Plenário” (1976); “Weder e a Política Nacional” (1976); “De um e outros Juízes” (1976); “Código de Água e outros dizeres” (1977); “Nome, Política e Debates” (1977); “Nordeste e Energia Solar” (1977); “Falando para o Povo” (1978); “A Federação e outros temas” (1980); “Discursos Regionais e Memórias de Nomes” (1981).

Em matéria publicada pelo historiador José Ozildo, encontramos ainda um trecho que resume a grande contribuição cultural deixada por Octacílio Queiroz: “Crítico Literário e estudioso de problemas sócio-econômicos do Nordeste e, em especial, da Paraíba, de sua pena, encontramos ainda valiosos estudos publicados nas coletâneas históricas “Paraíba, Conquista, Patrimônio e Povo”; “A História e seus Intérpretes” e “Capítulos de História da Paraíba” (1987). Outros, porém, foram divulgados nas Revistas da Faculdade de Filosofia e do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, como também no extinto Almanaque do Estado da Paraíba. Orador de grande talento, realizou inúmeras conferências em várias instituições culturais do país. Sócio honorário da Associação dos Servidores Públicos do Estado da Paraíba (ASPEP), aposentou-se como Procurador de Justiça e embora tenha sido eleito para ocupar uma cadeira na Academia Paraibana de Letras, não chegou a tomar posse. Octacílio Nóbrega de Queiroz era um político diferente e essa diferença era notada no seu falar e no seu modo de agir. Homem franco, de gestos simples e nobre, como político detestava o populismo e sempre manteve-se afastado do clientelismo.Toda a sua vida pública foi pautada pela coerência e pela honestidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *