ACIAP


A origem de uma das mais antigas e organizadas entidades classistas da cidade de Patos começou com o envio de uma correspondência a firma Luiz Marinho & Cia, proveniente do então Presidente da Confederação das Associações Comerciais do Brasil, João Deuth Oliveira, sugerindo que fosse criada em Patos uma organização congênere, congregando não apenas comerciantes, mas também, industriais e agricultores. Em sua explanação, mostrava a grande importância de tal iniciativa, como elo de união, entre as demais organizações da classe, nas esferas estadual e federal, abrindo um leque considerável de oportunidades para os setores produtivos em ascensão.

Munido da referida mensagem, o empresário Luiz Marinho convidou comerciantes, industriais e agricultores, para uma reunião, no dia primeiro de novembro de 1943, onde seriam debatidos assuntos de interesse da classe. O encontro aconteceu no prédio da Ação Católica, ao lado da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia. Naquela oportunidade foi fundada a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Patos – ACIAP, objetivando não apenas defender os interesses da classe, mas, principalmente, servir à coletividade. A primeira diretoria ficou assim constituída: Presidente – Pedro Izidro da Nóbrega; Vice-Presidente – Pedro Crispim de Andrade; Secretário – Luiz Marinho da Silva; Tesoureiro – Zózimo Dantas Gurgel; Procurador – Dr. Alcebíades Parente; Conselho Fiscal: João Alves Fragoso, Miguel Fernandes Mota e Pedro Celestino; Suplentes: João Xavier de Sá e Adauto Leite. A solenidade de posse aconteceu no dia 23 de novembro de 1943, sendo presidida pelo Cônego Manuel Vieira, com a participação de representantes de entidades congêneres de várias cidades da Paraíba, do Rio de Janeiro e dos Ministérios da Educação e Fazenda.

O primeiro pleito da diretoria foi encaminhado ao Prefeito da época, Manoel Severiano de Sousa e solicitava a criação de uma feira semanal. Com a aprovação do CAE – Conselho Administrativo do Estado, o projeto foi aprovado, por unanimidade, em 06 de dezembro de 1943. Dias depois foi encaminhado um pedido ao Dr. Waldemar Luz, Diretor do Departamento Nacional de Estradas de Ferro, solicitando urgência na inauguração do trecho ferroviário entre Pombal e Patos, visando baixar o custo e diminuir as dificuldades de fretes e transportes de mercadorias, constituindo outro marco da primeira gestão, já que, em 26 de janeiro de 1944, chegava pela primeira vez a esta cidade, o trem da Rede Viação Cearense. Também merece destaque o pleito encaminhado ao Governo Federal, solicitando a construção do açude Jatobá.

Os Estatutos da ACIAP foram publicados no jornal “A União”, em 27 de janeiro de 1944 e registrados no Cartório Dinamérico Wanderley, em 19 de fevereiro do mesmo ano. Ao final do primeiro ano de existência a Entidade já contava 97 sócios e estava de posse do terreno onde seria construída a sua sede própria, apresentando, ainda, um superávit de Cz$ 8.614,70 (oito mil, seiscentos e quatorze cruzeiros e setenta centavos). O prédio seria concluído na gestão de Antônio Cavalcante da Silva, que coordenou a diretoria no biênio 53/55.

Com o passar dos anos e sucessivas gestões, muitas foram às ações levadas a efeito pela ACIAP, valendo destacar algumas, a partir da criação do Colégio Comercial Roberto Simonsen, na gestão do senhor Pedro Leitão Sobrinho, também na década de 50.

De lá para cá a ACIAP teve participação fundamental no encaminhamento de pleitos do interesse da sociedade patoense, a exemplo do abastecimento d’água, energia elétrica, instalação de agências bancárias, criação da semana inglesa, plantão farmacêutico, guarda noturno, além de ter encaminhado uma comissão para falar com o Presidente da República, Juscelino Kubitschek de Oliveira, que estava em visita à cidade de Campina Grande, oportunidade em que logrou êxito ao solicitar socorro para o Hospital Regional e Colégio Comercial.

Na gestão de Aderlou Gomes de Brito, entre 67 e 69, aconteceu a modificação dos Estatutos, passando a entidade a denominar-se apenas de Associação Comercial de Patos – ACP. Nesta época também foi criado o Departamento Jurídico, confiado aos Drs. Napoleão e Romero Nóbrega, os quais passaram a dar uma grande assistência a todos os associados.

Em 2004, precisamente no mês de outubro, sob a presidência de Osvaldo Fernandes Mota e em consonância com o novo Código Civil, algumas adaptações tiveram que ser levadas a efeito no tocante aos Estatutos e por designação da Assembléia Geral Extraordinária a sigla inicial ACIAP, voltou a ser oficializada com a tradução de Associação Comercial e Industrial de Patos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *