Fundação Francisco Mascarenhas

Dizem e eu acredito que os grandes homens possuem raízes fincadas na humildade. Na verdade, se tivéssemos o direito de escolher, preferiríamos nascer em berço de ouro, no entanto não podemos esquecer que a abundância desde o princípio provoca acomodação. A conquista como resultado de muita luta constitui o primeiro passo para a valorização do ser humano. As dificuldades nos ensinam a ser fortes e os exemplos de vitória nos estimulam para novas iniciativas. Nesse contexto se insere a figura de José Gomes Alves que nasceu no Distrito de São José do Bonfim, município de Patos, aos 15 de junho de 1924. Com dotes para o comércio, o filho de João Alves da Silva e Maria da Guia Gomes Alves, começou a trabalhar ainda criança, vendendo picolé, laranja e pipoca, para ajudar no sustento da família, época em que perdera o seu pai tendo que se transferir para a cidade aos oito anos de idade. Na adolescência passou a ser balconista de uma mercearia localizada na rua Dezoito do Forte, na qual adquiriu experiência e, dois anos após, abriu o seu próprio comércio com sede na rua do Prado.

Com uma visão futurista e uma pequena estabilidade conquistada, chegava o momento de investir na própria educação. José Gomes Alves ingressava no Grupo Escolar Rio Branco para iniciar os estudos e concluir o primário em 1948. Na década de 50 terminava o ginasial no Colégio Comercial que ajudou a fundar, para cursar o segundo grau na Escola Técnica de Comércio Alfredo Dantas, da cidade de Campina Grande.

Ao ponto em que avançava nos estudos ele também crescia no comércio, chegando a ter três mercearias no ano de 1959, momento em que resolve vender os referidos estabelecimentos para abrir um grande armazém de miudezas, denominado Cacique.

O maior desafio lançado por José Gomes Alves e que veio a provar sua grande competência, residiu na Fundação Francisco Mascarenhas, responsável pela implantação do ensino superior na Capital do Sertão da Paraíba. Com a Faculdade de Economia, autorizada pelo Decreto Federal nº 66.908 de 23 de julho de 1970 em consonância com a Resolução 51/69 do Conselho Estadual de Educação e mais tarde, Agronomia e Medicina Veterinária, Resolução 22/71 do CEE, Patos deu um grande passo de desenvolvimento, não apenas na formação dos seus filhos, mas principalmente, na atração de pessoas provindas das mais diversas regiões do País, o que passou a gerar divisas significativas.

Os Estatutos da Fundação Francisco Mascarenhas, denominação que homenageou um funcionário de carreira do Banco Industrial, foram publicados no Diário Oficial do Estado, edição de domingo, 21 de novembro de 1965 e em seu artigo 1° assinalava ter sido instituída no dia primeiro de maio de 1964. Objetivava entre outras coisas, criar, instalar e manter no Estado, institutos de pesquisa ensino e educação, de qualquer grau, tipo e natureza, sobretudo de grau superior, órgãos de ajuda e assistência à cultura e à técnica, estimular por meio de prêmios, bolsas e publicações a atividade intelectual e a invenção.

O patrimônio instituído foi no valor de Cr$ 310.000,00 (trezentos e dez mil cruzeiros), quantia doada pelos 31 fundadores, sendo 10 mil de cada um dos seguintes participantes da Primeira Assembléia Geral: José Gomes Alves (Presidente), José Rosimar Gomes, José Rosevete Gomes, Auri Meira, Antônio Fernandes dos Santos, Antônio José Filgueira de Assis, Afonso Ferreira Cavalcante, Aderlou Gomes de Brito, Elpídio Dias Portela, Expedito Rodrigues da Silva, Francisco Cícero de Medeiros, Fernando Fernandes dos Santos, Climídia Nunes, Normando Leite Cavalcante, Oscar Leandro de Oliveira, Pedro Jerônimo da Silva, Luiz Rodrigues de Brito, Luiz Araújo, Luiz de França, Manuel de Souza Oliveira, Francisco Soares de Sá, Romero Abdon Queiroz da Nóbrega, Manoel Messias do Nascimento, Neó Trajano da Costa, Francisco Fonseca, Terezinha Gomes da Silva, Manacés Gomes da Silva, José Rodrigues Lustosa, Edmilson Lúcio de Souza, Joaquim Antônio Pessoa da Silveira e Ilosman Lacerda da Silva.

Com o passar dos tempos e o enorme desenvolvimento do ensino superior, os horizontes da Fundação Francisco Mascarenhas foram ampliados trazendo em conseqüência a criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, efetivada pelo Decreto Federal nº 66.558 de 12 de maio de 1970, confirmando a Resolução 52/69 do CEE e a Escola de Agronomia e Medicina Veterinária, sendo que esses dois últimos cursos não conseguiram o reconhecimento do Ministério da Educação e acabaram sendo encampados pela Universidade Federal da Paraíba, hoje UFCG. Tal realidade contribuiu para que o nome em destaque desse mais uma colaboração grandiosa ao desenvolvimento local, implantando novas modalidades na entidade privada, passando a oferecer as opções de Pedagogia, Geografia, Letras e História.

Além de sua atuação na área de ensino, o grande empreendedor implantou a Construtora Gomes Comércio Imobiliário LTDA, trazendo um dos aspectos de cidade grande, através da construção de três enormes edifícios, denominados Manduri I, II e III.

Ainda na formação pessoal, bacharelou-se em economia na instituição que fundou e concluiu os cursos de Administração de Pequenas e Médias Empresas e Aspectos Históricos e Sociais do Brasil Contemporâneo. No campo social participou ativamente da Fundação do Comercial Campestre Clube, integrou o Patos Tênis Clube, Rotary Clube de Patos e Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior.

José Gomes Alves faleceu na Clínica Santa Joana, na cidade do Recife, no dia 10 de Janeiro de 1995 e foi sepultado no Cemitério São Miguel, da Cidade de Patos. Na referida ocasião o então Prefeito Antônio Ivânio Ramalho de Lacerda, decretou luto oficial de três dias, reconhecendo o grande trabalho por ele prestado no desenvolvimento da Rainha Sertaneja.

Hoje o seu exemplo é seguido pelo filho João Leuson, que tem demonstrado competência na seqüência dos mesmos empreendimentos. A Fundação Francisco Mascarenhas ganhou novos cursos, a exemplo de Enfermagem, Computação, Jornalismo e Direito, enquanto a cidade recebeu novos prédios habitacionais.

Enfim, diríamos que na tradição de pai para filho, o município de Patos cresce e se envaidece da competência dos que integram a sua conjuntura social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *