Irmãos Fábio e Fabiano


Outro crime que causou revolta em meio à sociedade patoense teve como vítimas os gêmeos Fabiano e Fábio Paulino de Lima, 14 anos. Os irmãos desapareceram na sexta-feira, 08 de abril de 2004 e só foram encontrados na tarde do dia seguinte por populares da área rural do distrito de Santa Gertrudes. Os corpos estavam distantes cerca de 40 metros um do outro, próximo ao local onde diariamente pastoreavam um rebanho bovino.

As vítimas residiam no Sítio Catingueira, no entanto os crimes aconteceram na propriedade rural Pedra Branca. O fato que chamou mais a atenção e causou revolta na população, residiu na violência utilizada para a execução dos adolescentes, provavelmente a golpes de faca, foice ou machado, além de pauladas.

Logo que o caso chegou ao conhecimento da Polícia de Patos, diligências foram efetuadas com o intuito de localizar e prender os assassinos. Com base nas primeiras denúncias chegadas à V Superintendência da Polícia Civil, dois elementos chegaram a ser presos, ambos residentes na Vila Teimosa em Patos, os quais mais tarde foram liberados por falta de provas. A hipótese mais provável residia no roubo de gado e os adolescentes poderiam ter sido mortos por testemunhar a ação dos bandidos, ou seja, uma espécie de queima de arquivos.

Alguns elementos que poderiam ajudar nas investigações chegaram a ser recolhidos próximo ao local dos crimes, como restos de cigarros enviados para análise da polícia técnica na busca de comprovação ou não do envolvimento dos acusados, que negavam de forma veemente as suas participações.

Um ano depois do fato permanecia na prisão como acusado do ato brutal, Inaldo Gomes da Silva. O mesmo residia na Fazenda Conceição, proveniente da localidade rural Várzea de Jurema. Contra ele havia informação de ter adquirido uma moto roubada, a qual foi recuperada pela polícia e os menores terem lhe revoltado por uma brincadeira, através da seguinte frase: “êta negão, andando a pé, foi apanhar uma moto roubada”. Outro cidadão que chegou a ser preso, conhecido por Zé Vaqueiro que morava nas proximidades e se transferiu para Patos no dia do enterro das vítimas, acabou recuperando a liberdade por falta de provas.

Fábio e Fabiano, filhos de Sebastiana Paulino da Silva e Manoel Francisco de Lima (falecido há 7 anos, vítima de parada cardíaca) estudavam no Grupo Escolar de Santa Gertrudes, o primeiro na 4ª Série e o outro na 3ª. No dia que desapareceram sua mãe pressentia que os mesmos não estivessem vivos, dado o apego com a família, o que não justificava a falta de regresso na hora do almoço, como de costume.

Instada a falar sobre o assunto, a genitora recorda que constantemente sonha com os filhos, ao lado do pai, emudecidos e acredita que a justiça seja feita. Na sua concepção o assassinato fora praticado por mais de uma pessoa. O fato é motivo de constante revolta dos irmãos: Leonardo, Francinaldo, Francileudo, Onaldo, Francivaldo, Leosvaldo e Francileuda.

No local onde os corpos foram encontrados está erguida uma capela, para onde convergem diversas pessoas, notadamente nos finais de semana, em busca de homenagear e pedir graças às crianças mártires, mantendo uma tradição religiosa da região sertaneja. Algumas celebrações têm sido levadas a efeito, principalmente na data de aniversário de vida e morte dos menores assassinados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *